Regulamento Prova Funcional

REGULAMENTO DA PROVA FUNCIONAL DO CAVALO CAMPEIRO

 

1. Apresentação

 

A prova funcional da raça Cavalo Campeiro tem por objetivo demonstrar a habilidade e docilidade que é peculiar à raça, realçar a resistência e rusticidade do animal, bem como a destreza do cavaleiro ao conduzir o “Marchador das Araucárias” através de obstáculos; cuja intenção, também é de divulgar a raça.

 

2. Inscrições

 

2.1. Somente serão realizadas inscrições de animais que estejam devidamente registrados na Associação Brasileira dos Criadores de Cavalos Campeiros.

2.2. No ato da inscrição o competidor deverá apresentar o Certificado Original de registro do animal e Carteira de Identidade do Cavaleiro, juntamente com as respectivas cópias (xerox).

2.3. Cada competidor poderá participar das competições com até 2 (dois) diferentes animais, devendo escolher entre um deles, se obtiver os dois animais classificados para a última etapa (final).

2.4. As inscrições deverão ser quitadas no ato de sua realização, cujo valor será decidido pela diretoria, e devidamente divulgado antes de cada competição/evento.

2.5. Os cavaleiros serão distribuídos nas categorias masculina e feminina, que seguirão a seguinte ordem:

2.5.1. Categoria Infantil: Cavaleiros com até 12 anos.

2.5.2. Categoria Juvenil: Cavaleiros de 13 a 17 anos.

2.5.3. Categoria Adulta: Cavaleiros acima de 18 anos.

2.6. No ato das inscrições o competidor e/ou seu responsável legal (quando menor de idade), deverá assinar os termos de responsabilidade e de compromisso, para a participação em competições oficiais.

 

3. Descrição da Prova

 

Antes do início das competições, realizar-se-á uma reunião entre todos os competidores e o juiz, para o esclarecimento acerca do que será considerado ato de crueldade com o animal durante a prova. O não comparecimento do competidor nesta reunião, implicará em aceitação e ciência total das decisões tomadas entre o juiz e os demais competidores.

A prova Funcional do Cavalo Campeiro é composta das seguintes etapas:

3.1. Ponto de partida: Os cavaleiros, postados em dupla, iniciam a prova na primeira das três bandeiras do ponto de partida, cabeça a cabeça. A prova tem inicio com o aceno da bandeira após a contagem de 3 (três) segundos do juiz da prova.

3.2. Primeira corrida: após cada largada, segue-se uma corrida pelo lado interno da pista, até o 5º tambor vertical.

3.3 Contorno dos tambores: Segue-se a prova, costurando os tambores um a um até o primeiro tambor.

3.4. Segunda corrida: Nova corrida até os tambores postados horizontalmente.

3.5. Primeiro salto: Os tambores que estão deitados devem ser transpostos por um salto.

3.6. Margarida: Logo após o salto dos tambores, os cavaleiros devem:

3.6.1. Cavaleiro da pista direita: Este cavaleiro inicia o obstáculo das margaridas, com o contorno da última baliza da direita (baliza de número 1) pela direita. O percurso deve seguir, contornando a primeira baliza da esquerda (baliza de número 2) pela esquerda; segue-se até a última baliza da esquerda (número 3) pela esquerda; termina-se a margarida, dirigindo-se até a primeira baliza da direita (número 4) pela direita, seguindo até a baliza isolada colocada a direita.

 

 

3.6.2. Cavaleiro da pista esquerda: Este cavaleiro inicia o obstáculo, com o contorno da última baliza da esquerda (baliza de número 1) pela esquerda. O percurso deve seguir, contornando a primeira baliza da direita (número 2) pela direita segue-se até a última baliza da direita (número 3) pela direita; termina-se a margarida, dirigindo-se até a primeira baliza da esquerda (número 4) pela esquerda, seguindo até a baliza isolada colocada a esquerda.

3.7. Baliza isolada: esta baliza deve ser transposta dando-se uma volta completa por ela, iniciando-se pelo lado de dentro da pista e seguindo até o portão.

3.8. Portão: O portão deve ser aberto, transposto e fechado com a corrente colocada no prego, em qualquer de seus elos.

3.9. Segundo salto: após fechado o portão, o cavaleiro deve seguir em direção ao tambor postado na horizontal e saltá-lo.

3.10. Oito: Saltado o tambor, o cavaleiro deve dirigir-se pelo lado de dentro da pista, até a última baliza, contornando-a e fazendo um “oito” com a baliza anterior.

3.11. Chegada: Feito o “oito”, o cavaleiro deverá seguir ao ponto de partida, emparelhando o animal até a respectiva bandeira.

OBS.: Seguem nas páginas 11 e 12 os mapas ilustrativos do percurso e das medidas para a montagem da pista.

 

4. Classificação

 

4.1. Primeira etapa: Tomada de tempo:

Consiste na realização do percurso por todos os competidores individualmente, para a tomada de tempo e formação das duplas. As duplas serão formadas pela classificação dos tempos, obedecendo a seguinte ordem: o cavaleiro que obtiver o primeiro melhor tempo, disputará a próxima etapa com o cavaleiro que obtiver o último melhor tempo; o cavaleiro que obtiver o segundo melhor tempo, disputará a próxima etapa com o cavaleiro do penúltimo melhor tempo e assim sucessivamente.

4.2. Segunda etapa: Classificatória:

Nesta etapa, todos os cavaleiros competirão, seguindo a disposição assumida na primeira etapa. Será classificada para a próxima etapa, a metade dos competidores da etapa anterior (acrescido de mais um em caso de número ímpar de competidores inscritos), que obtiverem os melhores tempos.

4.3. Demais etapas: Eliminatórias:

A cada etapa subsequente será classificada a metade dos competidores que obtiverem o melhor tempo (acrescido de mais um, em caso de número ímpar de competidores inscritos), até que restem quatro classificados que disputarão a etapa final.

4.4. Etapa final:

Esta etapa consiste em disputa direta de 3º (terceiro) e 4º (quarto) lugares, entre os cavaleiros que obtiverem o terceiro e o quarto melhores tempos na etapa anterior; e disputa direta de 1º (primeiro) e 2º (segundo) lugares, entre os cavaleiros que obtiverem o segundo e o primeiro melhores tempos na etapa anterior. Na etapa anterior o participante que classificou 2 (dois) animais, deverá escolher apenas um deles, para disputar esta etapa; sendo assim, os demais classificados em posições inferiores, subirão uma posição.

 

5. Julgamento

 

5.1. A prova será julgada pelos critérios estabelecidos neste regulamento.

5.2. A competição será conduzida por um juiz, quatro árbitros, dois cronometristas e três mesários.

5.3. Ao juiz caberá:

5.3.1. Iniciar a prova;

5.3.2. Ordenar a repetição de obstáculos em caso de erros;

5.3.3. Julgar casos omissos ao regulamento;

5.3.4. Decidir antes de cada competição, o que será considerado ato de crueldade com o animal e comunicar os competidores durante a reunião;

5.3.5. Divulgar os resultados.

5.4. Aos árbitros caberá:

5.4.1. Verificar os seguintes obstáculos: Tambores de baliza, tambores de salto, balizas e portão;

5.4.2. Anotar em planilha própria as infrações cometidas pelo competidor durante a competição;

5.4.3. Ordenar a repetição de obstáculos em caso de erro;

5.4.4. Levar a planilha aos mesários ao final de cada apresentação;

5.5. Aos árbitros da margarida caberá:

5.5.1. Verificar a realização do trajeto da margarida

5.5.2. Anotar em planilha própria as infrações cometidas pelo competidor durante a competição;

5.5.3. Ordenar a repetição de obstáculos em caso de erro;

5.5.4. Levar a planilha aos mesários ao final de cada apresentação;

5.6. Aos cronometristas caberá:

5.6.1. Cronometrar o tempo do cavaleiro referente a sua pista, sem interrupção do Cronômetro, desde o comando de início dado pelo juiz, até que o competidor cruze a linha de chegada.

5.6.2. Informar aos mesários o tempo de cada competidor.

5.7. Aos mesários caberá:

5.7.1. Calcular a classificação dos competidores, acrescentando ao tempo total fornecido pelos cronometristas, as infrações anotadas nas planilhas dos árbitros;

5.7.2. Informar ao juiz os resultados para posterior divulgação.

 

 

 

6. Penalidades

 

Sofrerá penalidade de acréscimo no total do tempo da competição, o cavaleiro que incorrer nas seguintes infrações:

6.1. Acréscimo de 5 segundos:

– Por derrubar o tambor de baliza (vertical);

– Por baliza derrubada;

– Por derrubar a vareta de marcação do tambor de salto (horizontal)

6.2. Acréscimo de 20 segundos:

– Erro na realização do obstáculo da margarida após 2 (duas) tentativas.

6.2.1. O juiz ou qualquer um dos árbitros avisará ao cavaleiro o erro no obstáculo da margarida, que deverá ser realizada novamente em toda a sua extensão. Tal obstáculo poderá, após o erro, ser realizado por 2 (duas) vezes; o insucesso da segunda tentativa, permitirá que o cavaleiro prossiga a prova sem a realização correta da margarida, no entanto, acrescido de 20 segundos no total do tempo da prova.

6.3. O refugo dos obstáculos não será penalizado, se o cavaleiro corrigir a falha de imediato, cumprindo todo o percurso corretamente.

6.4. O ato da largada será repetido por até 3 (três) vezes, em caso de atraso ou adiantamento de algum cavaleiro (queimar a largada).

 

7. Desclassificação

 

O concorrente será desclassificado se:

7.1. Exercer qualquer ato de crueldade, previsto no item 5.3.4. do regulamento;

7.2. For constatado, através de exame específico, o dopping, tanto do animal quanto do cavaleiro;

7.3. Receber ajuda externa, por parte de terceiros, com exceção para casos de queda;

7.4. Obstruir propositadamente, a passagem do outro concorrente;

7.5. Não obedecer de pronto, a solicitação do juiz ou árbitros, para que se repita um determinado obstáculo;

7.6. Será desclassificado o competidor que agir com atitudes anti-esportivas;

7.7. O competidor que não comparecer para a realização da prova quando solicitado, será automaticamente desclassificado;

7.8. Será eliminado o participante que segurar a baliza para que a mesma não caia.

 

OBS.: Iniciada a prova, o concorrente deverá SEMPRE terminar o percurso, mesmo que sem chance de vitória, exceto, nos casos que coloquem em risco a saúde do cavaleiro ou do animal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *