Regulamento do Julgamento de Morfologia

REGULAMENTO PARA EXPOSIÇÕES OFICIALIZADAS

 

Serão consideradas exposições oficializadas as que observarem e cumprirem as determinações e especificações abaixo:

 

Art. 1º. Que solicite a oficialização da exposição junto a ABRACCC obedecendo um prazo mínimo de 90 dias antes do evento.

Art. 2º. Que o número mínimo de expositores associados à ABRACCC seja de cinco e que a participação mínima de animais efetivamente julgados seja de 15 (quinze).

Art. 3º. Que a coordenação do evento por comissão executiva e equipe de apoio seja de inteira responsabilidade da promotora do evento.

Art. 4º. Que os animais da raça CAMPEIRO sejam julgados de acordo com o regulamento do sistema de julgamento anexo.

Art. 5º. Enviar a ABRACCC, obrigatoriamente dentro do prazo máximo de 30 dias após o evento os seguintes documentos:

a) mapa de animais premiados (modelo 1 e 1.1);

b) súmula de apuração do julgamento de categorias, assinadas pelos árbitros (modelo 2);

c) súmula de apuração de campeonatos, assinadas pelos árbitros (modelo 3);

d) súmula de apuração dos concursos de marcha (modelos 4 e 5);

e) súmula de apuração do concurso de progênie (modelo 1 e 1.1).

Art. 6º. Pagar os honorários dos árbitros de acordo com a tabela vigente na Associação, suas despesas de viagem, hospedagem e alimentação, um dia antes do encerramento dos trabalhos de julgamento.

PARÁGRAFO ÚNICO. Fica sob inteira responsabilidade da promotora do evento, logo após a confirmação dos nomes dos árbitros pela ABRACCC, entrar em contato com estes para acerto de viagem e hospedagem.

Art. 7º. Para fins de credenciamento de animais para a participação em exposições nacionais de raça, será observada a tabela de premiações abaixo, valendo retroativamente para todas as exposições oficializadas já realizadas:

a) exposições de 15 a 20 animais efetivamente julgados, os campeões e reservados;

b) exposições com mais de 20 e até 30 animais efetivamente julgados, do 1º prêmio aos campeões;

c) exposições com mais de 30 animais efetivamente julgados, da 3ª menção honrosa aos campeões.

 

DA ENTRADA DOS ANIMAIS EM PISTA

 

Art. 8º. A entrada dos animais na pista de julgamento deve ser precedida de uma completa vistoria por parte da comissão técnica, que terá a seu cargo as seguintes tarefas:

a) quanto aos animais controlados; examinar:

1 – conferência completa da resenha;

2 – cronometria e arcada dentária;

3 – bolsa escrotal;

4 – olhos.

b) quanto aos animais registrados, examinar:

1 – conferência completa da resenha;

2 – número de registro e marca da Associação aposta na perna direita.

Art. 9.º Deverão ser excluídos do julgamento os animais que não conferirem com a respectiva resenha, com diferenças na cronometria dentária, com defeitos na arcada dentária (prognatismo), que a partir dos 30 meses não estejam com os testículos na bolsa escrotal, com defeitos físicos graves.

 

PARÁGRAFO ÚNICO. Animais acidentados, portadores de defeitos físicos graves, adquiridos ou não ou portadores de bandagem (curativos) mesmo com apresentação de laudo veterinário, não poderão participar do julgamento.

 

DAS CATEGORIAS E DOS CAMPEONATOS

 

Art. 10. As categorias de todos dos campeonatos para animais inscritos no registro provisório e definitivo serão criadas da seguinte forma:

a) a quantidade de categoria em cada campeonato passa a ser variável para mais, mas nunca inferior 2 (duas);

b) as categorias de cada campeonato não poderão ter um número de animais superior a 6 (seis);

c) quando o número de animais para formação das categorias de qualquer campeonato for inferior a 2 (dois), estes deverão ser incorporados às categorias do campeonato mais próximo que tenha menos animais, pois nenhum campeonato pode ser disputado senão houver um mínimo de 2 (duas) categorias;

d) de acordo com a tabela abaixo e o número de animais inscritos em cada campeonato, serão formadas as categorias:

* 1 (um) animal: transferir para o campeonato mais próximo;

* de 2 (dois) a 6 (seis) animais: 2 (duas) categorias;

* de 7 (sete) a 12 (doze) animais: 4 (quatro) categorias;

e) todos os ajustes para mais ou para menos, ficam com a última categoria de cada campeonato que serão formadas em ordem crescente de idade.

PARÁGRAFO ÚNICO. Em exposições de até 15 (quinze) animais expostos, quando o número de inscrições em qualquer campeonato não atingir o número de 2 (dois) animais para formação de 2 (duas) categorias regulamentares, fica permitido a formação de somente uma.

Art. 11. Os campeonatos, suas faixas etárias e seus códigos são os seguintes:

A/AA – Campeonato Dente de Leite: de 6 (seis) a 12 (doze) meses;

B/BB – Campeonato Mirim: acima de 12 (doze) a 18 (dezoito) meses;

C/CC – Campeonato Júnior: acima de 18 (dezoito) a 24 (vinte e quatro) meses;

D/DD – Campeonato Potra/Potro: acima de 24 (vinte e quatro) a 36 (trinta e seis) meses;

E/EE – Campeonato Égua/Cavalo Jovem: acima de 36 (trinta e seis) meses até 54 (cinqüenta e quatro) meses;

F/FF – Campeonato Égua/Cavalo: acima de 54 (cinqüenta e quatro) meses até 72 (setenta e dois) meses;

G/GG – Campeonato Égua/Cavalo Sênior: acima de 72 (setenta e dois) meses.

§ 1º. As promotoras de eventos que desejarem agrupar campeonatos poderão fazê-lo, desde que o título do campeonato escolhido absorva por completo a faixa etária do outro.

§ 2º. Quaisquer outros campeonatos que não os acima relacionados não serão reconhecidos pela ABRACCC.

 

DOS PRÊMIOS E DOS TÍTULOS DOS CAMPEONATOS

 

Art. 12. Para cada uma das categorias dos diversos campeonatos poderão ser conferidas as seguintes premiações: um 1º prêmio; um 2º prêmio, um 3º prêmio e uma 1ª, uma 2ª e uma 3ª menção honrosa.

Art. 13. Aos títulos de campeões concorrem os animais classificados em 1º prêmio. Aos títulos de reservados campeões concorrem os animais classificados em 1º prêmio (exceto o campeão) e o animal da categoria do campeão classificado em 2º prêmio.

Art. 14. Os títulos de campeão da raça serão disputados entre os campeões machos e fêmeas dos campeonatos acima de 36 (trinta e seis) meses.

§1º. Na disputa do título de reservado e reservada da raça concorrerá, também, o animal portador do título de reservado ou reservada do grupo do campeão e da campeã.

§ 2º. Fica a critério da promotora do evento a realização do campeonato jovem da raça a serem disputados pelos campeões e reservados até 36 (trinta e seis) meses.

 

DOS CONJUNTOS E DOS CONCURSOS

 

Art. 15. O julgamento de marcha e morfologia dos conjuntos de progênie de pai e de mãe será, também, comparativo, podendo ser conferidos de 1º a 5º prêmios.

Art. 16. Os conjuntos serão assim constituídos:

§ 1º. O conjunto progênie de pai será integrado de 2 (dois) ou mais animais, inscritos em registro provisório ou definitivo e, obrigatoriamente, com um animal do sexo oposto, sendo que não poderão participar irmãos próprios.

§ 2º. O conjunto progênie de mãe será integrado de 2 (dois) ou mais animais, inscritos em registro provisório ou definitivo.

§ 3º. Não poderão participar do concurso de progênie animais que não tenham sido julgados os seus respectivos campeonatos de tal evento.

Art. 17. Os concursos de marcha das exposições devem ser disputados de acordo com o regulamento específico, e dele só poderão participar os animais que no julgamento de andamento de suas respectivas categorias, tenham obtido:

a) categorias de 1 a 2 animais, os 1º e 2º lugares;

b) categorias de 2 a 4 animais, do 1º ao 3º lugar;

c) categorias de 5 a 6 animais, do 1º ao 4º lugar.

Art. 18. Qualquer norma do presente regulamento que for ignorada por expositor, seus representantes e empregados, que vierem a causar danos materiais ou a organização do evento, inclusive a não apresentação de animais para julgamento, implicará ao infrator as penalidades previstas no art. 19.

Art. 19. O desacato aos dirigentes da Associação e seus prepostos, aos dirigentes da entidade promotora do evento e seu prepostos, aos árbitros e seus auxiliares, por parte do expositor, seu representante ou empregado, a eles implicará, por parte da promotora, na retirada dos animais da pista e suspensão, por até 1 (um) ano, da exposições oficializadas da raça.

Art. 20. Os casos omissos no presente regulamento serão resolvidos pela diretoria da ABRACCC.

 

SISTEMA DE JULGAMENTO

Art. 21. Todos os animais admitidos no recinto deverão comparecer a pista de julgamento.

§ 1º. Haverá um árbitro para marcha e outro para morfologia que atuarão independentemente.

§ 2º. Os árbitros, tanto de marcha quanto de morfologia, não podem atribuir a mesma classificação a animais diferentes.

§ 3º. No julgamento das categorias os animais poderão ser classificados ordenadamente ou não, a critério dos árbitros.

§ 4º. Nos campeonatos, os animais serão classificados ordenadamente.

§ 5º. As categorias poderão ser julgadas simultaneamente, sendo que os comentários dos árbitros de marcha e morfologia só serão feitos após o término do julgamento da categoria quando os animais serão posicionados.

§ 6º. Não será permitido tirar de pista nenhum animal que tenha sido julgado, antes dos comentários do respectivo árbitro.

§ 7º. Os julgamentos em todas as suas fases serão comparativos e realizados perante o público.

 

MARCHA

 

Art. 22. Todos os animais acima de 36 (trinta e seis) meses, se apresentarão montados e poderão ser montados pelo árbitro.

PARÁGRAFO ÚNICO. Só serão submetidos à avaliação de andamento os animais acima de 36 (trinta e seis) meses, sendo que os com idade inferior, só serão avaliados em morfologia e sua pontuação se dará pela mesma.

 

MORFOLOGIA

 

Art. 23. Os animais para o julgamento de morfologia serão apresentados sem sela.

Art. 24. O animal deverá ser avaliado parado e a passo, não sendo permitido colocar o animal para marchar.

 

CLASSIFICAÇÃO E PREMIAÇÃO

 

Art. 25. A classificação será a somatória de pontos de marcha e morfologia, conforme tabela de pontuação total de marcha e morfologia, e os pesos serão os seguintes:

– Marcha: 50%

– Morfologia: 50%.

Art. 26. O número total de pontos é igual a 200.

Art. 27. Para receber as premiações abaixo o animal deverá obter:

1º Prêmio – Total mínimo de 175 pontos

2º Prêmio – Total mínimo de 160 pontos

3º Prêmio – Total mínimo de 145 pontos

1ª Menção – Total mínimo de 130 pontos

2ª Menção – Total mínimo de 115 pontos

3ª Menção – Total mínimo de 100 pontos

Art. 28. Em caso de empate na pontuação total prevalece a maior nota em morfologia.

Art. 29º. O animal que no julgamento de andamento não obtiver um mínimo de 10 (dez) pontos, automaticamente não passará para julgamento de morfologia.

 

CAMPEONATO

 

Art. 30. Os animais classificados nas categorias em 1º (primeiro) e 2º (segundo) lugares voltarão à pista de julgamento tanto em marcha quanto em morfologia, para decidir os campeonatos.

Art. 31. Para as disputas dos campeonatos e reservados da raça para machos e fêmeas, voltarão à pista para novo julgamento, os campeões e reservados acima de 36 (trinta e seis) meses dos referido campeonatos.

Art. 32. Deverá ser realizada, obrigatoriamente, pelo menos uma das provas funcionais admitidas para a raça CAMPEIRO. (anexos 1, 2, 3, 4, 5 e 6).

PARÁGRAFO ÚNICO. Fica a critério da promotora do evento a escolha da prova a ser realizada, podendo ser mais de uma, a critério da comissão organizadora do evento, premiando-se do primeiro ao terceiro lugar.

 

Curitibanos/SC, 22 de junho de 1993.

Presidente Ivens Ortigari

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *